Bebê nasceu com apenas metade do coração e sobrevive por etapas – Blotz – Site de notícias para você ficar bem informado.
Site Overlay

Bebê nasceu com apenas metade do coração e sobrevive por etapas

O pequeno Arthur Moore vive em Rotherham, no Reino Unido e foi submetido a uma cirurgia cardíaca logo no segundo dia de vida. A criança nasceu com uma condição conhecida como Síndrome do Coração Direito Hipoplásico (HRHS), que faz com que apenas a “metade” do coração se desenvolva.

Jessica Hellewell, de 24 anos e mãe do bebê, contou que foi informada da condição do filho quando ainda estava com 20 semanas de gestação. Segundo ela, o bebê foi concebido através de uma fertilização in vitro e que tudo que passou até agora é uma grande jornada.

Os médicos realizaram vários exames e confirmaram: “Seu bebê tem apenas metade do coração desenvolvido, a outra parte não se desenvolveu”, disse ela durante uma entrevista ao Yorkshire Live.

Jessica também contou que os médicos conversaram bastante com ela e seu parceiro, e várias opções lhe foram oferecidas, incluindo uma interrupção gestacional, o que de pronto não foi aceito. Segundo ela, o restante do período da gravidez foi difícil, pois além de todas as dificuldades, ela não sabia lidar com a situação.

Ela também disse que teve apoio de alguns grupos, e que eles a ajudaram a entender um pouco mais sobre todo o processo, mas deixou claro que a experiência não foi boa. Contou que não tinha certeza que o bebê conseguisse sobreviver, e ao nascer ele foi imediatamente para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Após nascer, o pequeno Arthur foi submetido a sua primeira cirurgia no coração, e os médicos descobriram mais problemas. Foi constatado que o bebê necessita trocar uma válvula no coração, e que tudo está sendo realizado por etapas. Ele já realizou duas, das três cirurgias previstas pelos especialistas e que entre 2 e 4 anos de idade, ele fará a terceira.

De acordo com os médicos, as cirurgias realizadas são paliativas, não corretivas, e que ele ainda pode precisar até mesmo de um transplante. A mãe conta que a expectativa de vida do filho atual é de até 40 anos, mas que isso também dependerá de sua próxima cirurgia e da evolução de sua saúde.