Sem-teto recebeu pedido de namoro e se diz apoiador de Bolsonaro – Blotz – Site de notícias para você ficar bem informado.
Site Overlay

Sem-teto recebeu pedido de namoro e se diz apoiador de Bolsonaro

Givaldo Alves, morador de rua, 48 anos, da Bahia. É agora um homem famoso por ter sido espancado pelo personal trainer que o flagrou em uma noite de amor com sua esposa. O morador de rua deu sua primeira entrevista oficial ao site de notícias, Metrópoles.

A conversa repercutiu online, e o assunto rapidamente tomou conta das redes sociais. Givaldo conta com calma como aconteceu o momento em que conheceu a esposa de Eduardo, revelando que em nenhum momento abusou dela, o que já havia sido noticiado nos últimos dias.

Ainda na entrevista, o sem-teto foi questionado sobre sua postura política. Ele não escondeu suas preferências e se abriu sobre em quem votou na última eleição presidencial. O incidente também foi notícia em alguns sites, expondo o voto de Givaldo.

Apoio político

Na entrevista, ele disse que se mudou para o Distrito Federal porque sabia que a capital federal lhe daria melhores condições de vida. No entanto, ele acabou indo viver nas ruas. Sobre a ajuda humanitária que recebeu nesse período, Givaldo atribuiu ao presidente Jair Messias Bolsonaro do PL.

O presidente Bolsonaro apoia quem está sem lar ou que vive em situação de vulnerabilidade, disse o homem. Agradecido, ele chegou a revelar que votou em Bolsonaro em 2018 e disse que ficará “muito orgulhoso” de apoiá-lo com seu voto novamente, esperando que seja reeleito nas eleições que virá neste ano.

Morador de rua fala seu lado da história

Até o momento, não há uma versão de Givaldo do que aconteceu entre ele e a esposa, apenas que ambos tiveram um momento íntimo em consentimento. O marido da irmã Sandra, relatou que ela sofreria de um transtorno mental e teria entrado em um colapso nervoso quando isso tudo ocorreu.

Segundo Givaldo, a mulher foi quem o chamou para dentro do carro. Ele revelou que não tomou banho, mas ela não pareceu se importar com suas vestes ou condições apresentadas na ocasião.

O mendigo ainda expôs que a mulher lhe perguntou se ele aceitaria namorar com ela. Enquanto andava pela rodoviária da cidade ele a ouviu chamar e lhe propôs o pedido.

“Quando eu olhei uma moça lindíssima. Eu gesticulei para saber se era eu, ela confirmou e pediu para eu esperar. Quando ela se aproximou eu perguntei se poderia ajudar em alguma coisa e ela disse que queria namorar comigo”, relatou ele.

À estas falas, não sabemos qual a posição da família de Sandrinha no momento. Quanto à Givaldo, ele segue sua vida sem arrependimentos, ele ainda fala que: “Se eu pudesse eu não olharia para trás, para aquela voz doce e suave. Mas eu não posso me arrepender porque o prazer que ela me deu, foi o prazer que todo homem queria ter. A dor só me transporta até ela. Ela merece alguém que possa satisfaze-la sem possibilitar que ela se exponha”, comentou.